Você produz uma imagem com todo amor e carinho para ser postada no Facebook e quando ela finalmente deveria brilhar na timeline vem o susto: a qualidade está péssima – pra não dizer coisa feia aqui no blog. Quem produz peças gráficas para o Facebook provavelmente já passou por uma situação semelhante. Não tem jeito, Zuck e companhia não parecem ter a intenção de divulgar instruções pra quem desenvolve conteúdo para as páginas, muito menos de avisar como ou quando alguma mecânica da rede social vai mudar. Um exemplo recente foi a exclusão das enquetes para páginas, sem qualquer aviso ou justificativa.

A perda de qualidade ocorre geralmente com imagens de paletas quase monocromáticas, como por exemplo um banner all-type ou com um desenho sobre fundo chapado. Apesar de não saber exatamente como funcionam os algoritmos do Facebook, é provável que a compactação de arquivos jpg seja otimizada para fotografias digitais, com milhões de pixels de diversas cores compondo fotos de viagens, gatinhos, almoços e por aí vai. O próprio jpg já possui certa compressão, dependendo de como o arquivo for salvo. O problema é que esse mesmo processo do Facebook não tem funcionado tão bem para a compactação de peças gráficas com inúmeros tons de uma mesma matiz. Conforme mencionei no post anterior, a produção de imagens para Facebook está muito valorizada, então é preciso tomar um certo cuidado com esse tipo de problema. No caso do fundo vermelho, por exemplo, o ruído fica evidente. O exemplo abaixo que mostra como uma imagem de 144kb, no formato jpg, foi reduzida em mais de 80% após o upload e ficou com aproximadamente 20kb.

facebook_jpg

Para evitar que o mesmo ocorra com o seu trabalho basta salvar no formato png. A solução é muito simples, mas deve ser utilizada com cautela pois, nesse caso, não há compactação alguma. Na verdade, após enviar o arquivo de 142kb para o Facebook ocorreu um aumento do mesmo para 158kb. Uma imagem pode não pesar muito, mas considerando a complexidade do site, cheio de processos ocorrendo simultaneamente e a presença de outras imagens nos feeds e timelines vale pensar duas vezes antes de decidir salvar uma imagem nesse formato. Além disso, o aplicativo para dispositivos mobile costuma ser lento na maior parte dos celulares e tablets e o sinal da internet móvel então nem se fala. Na dúvida faça um teste e avalie a necessidade de optar pelo png.

facebook_png

Na maioria dos casos você pode usar jpg, tranquilamente. Lembre-se de salvar em boa qualidade, pra sua imagem não perder qualidade duas vezes. Caso a imagem tenha a predominância de uma cor ou tenha falhado em um teste prévio, vá de png. Independente do formato, para o meio digital salve sempre em RGB/72dpi. Se no fim das contas salvar em png não resolver, provavelmente o Mark mudou de ideia e está convertendo para jpg, como já aconteceu antes. Se quiser tirar a dúvida faça download da imagem e confira o tamanho e formato do arquivo.

Enquanto isso vamos aproveitar até o sistema mudar, e como o facebook muda diariamente temos que ficar atentos.

Valeu!

Fonte: designechimarrao.com.br